ás

Análise: Alien: Isolation mostra como um bom jogo de terror deve ser

Em busca da caixa preta da nave de sua desaparecida mãe, Amanda Ripley acabou presa na estação Sevastopol, onde se deparou com diversas pessoas hostis — e precisou evitá-las a todo custo. Mas o pior ainda estava para vir. Procurando uma forma de retornar à sua nave, Amanda acabou disparando o alarme da estação e, em sua tentativa de desligá-lo, acabou cara a cara com o “pior”: uma criatura esguia, de cor negra e com uma cauda pontuda e nojenta.

De imediato, ela sabia que seu fim estava próximo, que a qualquer momento aquele monstro acabaria com a sua vida. Ela sabia que, naquele momento, teria de lutar para sobreviver. E essa não seria uma tarefa nada fácil.

alien-isolation-playreplay-001

Em Alien: Isolation você será caçado constantemente

Isolada

Faz tempo que não jogo algo que realmente me deixe tenso. Confesso que ainda não tive a oportunidade de jogar The Evil Within, que é um dos principais nomes do gênero survival horror atualmente, então não vou entrar no mérito de comparar — ou de colocar nenhum deles no pedestal.

De qualquer forma, como fã de jogos de terror e sobrevivência, devo dizer que Alien: Isolation me surpreendeu. E, diferente do que eu esperava, me surpreendeu de forma positiva. Depois do fiasco que foi Alien: Colonial Marines, era difícil depositar muitas esperanças em Isolation. Por isso, desde o momento em que liguei o PS3 até o início das primeiras cenas em computação gráfica (com sérios problemas de framerate), ainda tinha para mim que Isolation seria apenas mais um jogo mediano. Ledo engano.

Alien: Isolation se passa 15 aos após os eventos do primeiro filme da série Alien, e conta a história de Amanda Ripley, a filha da Tenente Ellen Ripley (interpretada nos longas-metragens por Sigourney Weaver). Amanda recebe a informação de que foi encontrada a caixa-preta da Nostromo, a nave da qual sua mãe fez parte da tripulação, e parte rumo à estação Sevastopol em busca de respostas sobre o desaparecimento de sua mãe.

Após uma sequência de eventos infortunos, Amanda acaba chegando sozinha à estação Sevastopol e se vê completamente isolada: seus amigos desapareceram, ela perdeu o contato com a sua nave e, pra dificultar, os humanos e os androides que ela encontrou na estação se mostraram hostis. Pra piorar, só se ela descobrisse um alien assassino a bordo da Sevastopoloh, wait.

alien-isolation-playreplay-002

Use o detector de movimentos para saber se o Alien está por perto

Sobrevivendo a todo custo

Para sobreviver, Amanda vai precisar se virar nos 30. Afinal, ela está sozinha em um ambiente totalmente hostil sendo caçada não apenas por um Xenomorfo (aquele alienígena maneirão) como também por boa parte dos seres humanos e robôs da estação. Para isso, ela vai contar com esconderijos (como armários, mesas e qualquer lugar onde ela caiba e possa ficar oculta) e itens como sinalizadores, granadas, armas e ferramentas.

Por exemplo, você pode usar um sinalizador para chamar a atenção do Alien em um corredor do lado oposto a onde você deseja ir, ou bater com sua chave inglesa na parede para chamar a atenção dos humanos hostis (e se esgueirar para longe, seja por um duto de ar ou agachado por detrás de painéis ou paredes). É possível até mesmo chamar a atenção do Alien na direção dos seus adversários, pondo assim um inimigo contra o outro!

Um grande problema, porém, são as constantes quedas da taxa de quadros por segundos — a famosa framerate. Quando percorrendo a Sevastopol, não raramente você vai ver a framerate despencar por alguns segundos, como se o jogo estivesse lutando para carregar os cenários (muito bem modelados, por sinal) em tempo real. Devo dizer que isso em nada atrapalha a jogabilidade, e que ao que tudo indica as versões para consoles da atual geração não sofrem com esse problema.

alien-isolation-playreplay-004

É possível usar bombas para distrair os inimigos

Uma homenagem aos clássicos do cinema

Antes de mais nada, é preciso frisar que Alien: Isolation consegue transportar a tensão dos filmes para a tela do videogame. E adiciona uma boa pitada de terror, suspense e até mesmo alguma sensação de urgência: você quer sair dali, quer que o pesadelo acabe. Quer se ver livre do Alien, se sentir seguro novamente.

Não foram nem um pouco raros os momentos em que saltei da cadeira com o coração disparado. A equipe de desenvolvimento de Alien: Isolation fez um bom trabalho na hora de criar uma atmosfera sombria, fria e hostil, capaz de deixar qualquer um em desespero. Cada estalo de metal na nave, cada som de passos, cada barulho (ou até mesmo a falta dele) te deixa apreensivo, esperando o momento em que o Alien vai te encontrar e perfurar seu peito com a ponta de sua calda.

Alien: Isolation mostra que é possível sim adaptar uma boa franquia de filmes para os videogames. Optar por um plot tão semelhante ao do primeiro filme se mostrou um acerto imenso, gerando ao mesmo tempo uma experiência nostálgica e tensa na medida certa. Se você estava em dúvida sobre dar ou não uma chance a Isolation, pode comprar sua cópia sem medo. Porque o medo, meu amigo, é cortesia garantida do Xenomorfo.

alien-isolation-playreplay-005

Sorria, você está sendo devorado!

[infobox color=”light”]

Alien: Isolation – Nota: 4/5

Desenvolvedora: The Creative Assembly
Plataformas: PlayStation 4, PlayStation 3, Xbox One, Xbox 360, PC
Plataforma utilizada na análise: PlayStation 3

[/infobox]