ás

Análise: “Contemplação”, o segundo episódio de Resident Evil Revelations 2, tem boas surpresas e novos desafios

Já comentamos a maior parte das mecânicas do jogo na análise da primeira parte do jogo, então vamos pular uma ou outra coisa relacionada ao assunto no review de “Contemplação”, o segundo episódio de Resident Evil Revelations 2. Cuidado com os spoilers!

Spoiler-Alert

Após a revelação bombástica do final do capítulo de Barry, começamos “Contemplação” novamente na pele de Claire e Moira. Ainda que os cenários sejam muito bem feitos, o fato de ter tirado a dupla dos ambientes fechados na maior parte do capítulo matou um pouco do clima de tensão visto anteriormente.

O visual do local onde Moira e Claire se encontram com parte do time da Terra Save parece uma mistura da cidade inicial de Resident Evil 4 com a Kijuju de Resident Evil 5. Com casebres simples e pouco iluminados, ainda que a ação aqui se desenrole a céu aberto rola uma leve apreensão a cada esquina.

E um dado momento, é preciso explorar o pequeno vilarejo em busca de itens-chave para religar um helicóptero avariado encontrado no local. Como nada que vem fácil significa coisa boa, Claire e Moira são encurraladas em um trecho que novamente remete a RE4, com a casa onde a dupla se reuniu aos colegas de emprego sendo cercada e atacada por Afligidos.

A situação acaba criando uma sensação de perigo iminente que, apesar de já conhecida de jogos anteriores, ajuda a criar a ideia da necessidade de deixar aquele lugar o mais rápido o possível.

Passado o susto, as moças cortam caminho pelos esgotos, deixando o helicóptero para trás (junto de um amigo mecânico), e logo se encontram no caminho para uma torre localizada no centro da ilha. Elas acreditam que quem quer que seja que esteja por trás do sequestro está lá na tal torre. No caminho para a construção, a dupla cruza o caminho de um menininha assustada, a quem prontamente decidem ajudar.

01_bmp_jpgcopy

Passados alguns momentos de ação e disparos contra diversos Afligidos em um prédio caindo aos pedaços, as meninas finalmente chegam a uma rua que leva à torre.

A história do primeiro capítulo de “Contemplação” perde um pouco do charme ao inserir novos personagens, tirando um pouco da graça ao juntar Claire e Moira a um grupo de sobreviventes. Isso não chega necessariamente a ser um ponto negativo, já que nos permite saber um pouco mais sobre cada personagem e entender melhor o que raios está acontecendo, mas poderia haver outras maneiras de dar continuidade à trama sem precisar trazer companhia à dupla.

Já no segundo capítulo, novamente seis meses depois, Barry continua buscando pistas sobre o paradeiro de Moira. Ao lado de Natalia, o grandalhão refaz os passos de Claire e sua filha, visitando o vilarejo, os esgotos e várias outras locações por onde as duas passaram.

barry__4__bmp_jpgcopy

Novamente, Barry e Natalia não seguem exatamente os mesmos caminhos, vez ou outra tomando atalhos ou conseguindo acessar passagens anteriormente inacessíveis para as duas moças. Isso é interessante pois tira um pouco do aspecto monótono da exploração, que exige que Barry visite os lugares por onde sua filha provavelmente passou.

Por mais que o ex-S.T.A.R.S. seja a força bruta da equipe, não dificilmente você vai optar pro jogar como Natalia para encontrar itens escondidos ou inimigos invisíveis, tornando a menininha ainda mais especial. Como dissemos no review anterior, a impressão que temos é que Barry encontra inimigos muito mais poderosos do que os enfrentados por Claire e Moira, então munição e itens de cura não demoram a acabar… e, bem, inimigos que você normalmente não poderia enxergar com certeza são um pesadelo a mais!

O maior desafio do paizão e da menininha, porém, é justamente um dos amigos da Terra Save. Não entraremos em detalhes, mas fica a dica: Natalia pode ser de grande ajuda nesse momento!

barry__6__bmp_jpgcopy

Por fim, repetindo a dose do episódio anterior, o principal e mais interessante gancho fica no final do capítulo de Barry. Seu diálogo com a pequena Natalia sobre quem está por trás dos experimentos realizados na ilha, ainda que previsível, é interessante por voltar em um assunto que vem sendo moldado de forma mais explícita desde Resident Evil 5.

Novos conteúdos no Modo de Raide também são liberados com a chegada do segundo episódio. Esse modo, aliás, foi mesmo recauchutado e transformado em uma experiência ainda mais legal. A ideia de fazer do Raide uma simulação foi uma jogada de mestre, possibilitando de certa forma a unificação desse modo extra com a história do jogo.

raid__23_

Mesmo tendo perdido um pouco do suspense em relação ao primeiro episódio, “Contemplação” ainda consegue se manter com saldo positivo. A constante necessidade de mudar de personagem (ou de jogar com alguém pra te ajudar) ajuda a compensar, criando uma camada a mais de interação com o jogo.

Com as novas revelações nos momentos finais do episódio, é provável que a história agora tome um novo fôlego e se desenrole melhor. Mas justamente por conta dessas revelações, fica o medo de rolar uma síndrome de “episódio do Leon em RE6” e o que tinha tudo para ser uma ótima trama descambar para a ação non-sense.

Ainda assim, estamos otimistas. Afinal, é jogo da série “Revelations”, e a Capcom faz questão de frisar que essas histórias paralelas são desenvolvidas visando agradar principalmente aos fãs das antigas.

E que venha o terceiro episódio!

Resident Evil Revelations 2 – Contemplação — Nota 4/5

Desenvolvedora: Capcom
Plataformas: PlayStation 3, PlayStation 4, Xbox 360, Xbox One, PC
Plataforma utilizada na análise: Xbox One

Os comentários estão fechados.