ás

Análise: Tomodachi Life é divertido, mas não é para qualquer um

Como uma grande surpresa, A Big N anunciou através de um Nintendo Direct especial que Tomodachi Life, o game que já era um sucesso absoluto no Japão, finalmente chegaria ao ocidente. Tendo em mente o conteúdo surreal do jogo, muita gente logo começou a se perguntar se fazia sentido tirar o game de terras orientais.

Não demorou para que o bom humor e as bizarrices do jogo fizessem qualquer um se apaixonar por Tomodachi Life. Como grande fã de coisas sem noção, já havia me interessado pelo título logo que vi as primeiras imagens. O que eu não sabia era que encontraria algo bem diferente do que esperava — para o melhor e para o pior.

 

Entediante e surpreendente

Quando começamos a nos aprofundar em Tomodachi Life, fica perceptível que mesmo sendo comparado com jogos como The Sims e Animal Crossing, o game não tem qualquer semelhança com nenhum dos dois. Principalmente pela impossibilidade de controlar as ações ou a vida de seus personagens como em The Sims e a falta de atividades a serem realizadas ou objetivos a serem alcançados como em Animal Crossing.

O conceito principal do jogo é simplesmente acompanhar a vida dos Miis que você coloca em sua ilha, sendo que o máximo que você pode fazer é aconselhá-los em seus problemas e dúvidas. A real graça do game é observar a vida destes Miis se desenrolando aos poucos, com diversas situações surreais e aleatórias acontecendo constantemente.

A grande diferença entre Tomodachi Life e a maioria dos outros jogos é exatamente colocar o jogador como mero observador. Isso pode ser desconfortável para muita gente no começo; afinal, estamos acostumados a sermos praticamente deuses em todos os games que jogamos, controlando desde as ações de um protagonista até as estratégias de pequenos grupos ou grandes exércitos.

Assim, logo fica claro que Tomodachi Life não é um jogo para qualquer pessoa. A falta de controle que jogador encontrará em sua pequena ilha povoada por Miis é facilmente entediante, e em diversos momentos você não fará absolutamente nada (a não ser olhar para a tela de seu 3DS).

Ninguém manda no coração, nem os Miis

É preciso ter em mente que Tomodachi Life, em muitos aspectos, representa a vida real mais do que qualquer outro simulador social já feito. Afinal, como mencionamos, você não tem qualquer poder sobre as vontades e desejos de seus Miis.

Isso fica ainda mais perceptível nos relacionamentos que se desenvolvem durante o jogo, parte mais fundamental do game (afinal, “Tomodachi” significa “amigo” em japonês). Seus Miis logo se interessarão em conhecer as outras pessoas que forem se mudando para a ilha, podendo ou nascer ali uma amizade. Se o relacionamento for dando certo, eles podem até virar melhores amigos. Caso contrário, podem acabar não se suportando.

Mas prepare-se: nem relacionamentos bons estão a salvo de brigas, e não serão poucas as vezes que um Mii te chamará para dizer o quanto está nervoso porque brigou com alguém. Ainda assim, o melhor que você pode fazer é acalmá-lo e tentar convencê-lo a pedir desculpas, mas isso não garante que o outro Mii vá se desculpar ou querer continuar a amizade.

Como devem imaginar, também não é possível adivinhar quem vai se apaixonar por quem, ou se o amor de um Mii será retribuído. É até difícil explicar o quanto é de partir o coração ver um Mii todo apaixonado se declarando para então ser rejeitado. Mas com sorte, eles vão conseguir encontrar o amor, sair em encontros, se casar e ter filhos.

Isso aí, filhos. Com o tempo, os bebês Miis vão crescer e você vai poder decidir se eles vão viajar pelo globo (para o 3DS de alguém no mundo, na verdade) ou se vão ficar na ilha também. Ainda assim, como na vida real, os relacionamentos também podem acabar se seus Miis se sentirem infelizes. De novo, não há nada que você possa fazer.

tomodachi-life-playreplay-003

Os Miis também se divertem

Assim como na vida real, nem sempre os Miis vão ter algo interessante para fazer, e provavelmente você vai acabar se entediando enquanto espera algo legal acontecer. Seus Miis até propõem alguns joguinhos ocasionalmente, mas são outros aspectos que acabam ajudando a diminuir o efeito inevitável do tédio.

Conforme formos presenteando (com roupas, decoração de casa e diversos outros itens), ajudando e alimentando nossos Miis, a felicidade deles sobe de nível e eles podem receber algumas coisas especiais como músicas, objetos para interagir (como videogames, livros e maquiagem), frases personalizadas e visuais novos para seus apartamentos.

O progresso do jogo também vai destravando, aos poucos, todos os locais disponíveis da ilha, como o parque de diversões, a cabine de fotos, a lanchonete e diversas lojas. E o legal é que alguns destes cenários têm diversos eventos programados em horários específicos (sendo que o jogo trabalha com tempo real do 3DS). Por exemplo, se quiser ver seus Miis falando de assuntos absurdos, é só ir até a lanchonete à tarde e se quiser brincar de RPG, é só ir até o parque de diversões à noite.

Outros lugares permitem uma diversão mais personalizada, como a cabine de fotos, na qual é possível colocar diversos Miis em poses e lugares inusitados. Mas o lugar que realmente mais chamou a atenção foi a casa de shows. Como seus Miis podem aprender diversos estilos de músicas, você pode fazê-los se apresentarem com as músicas criadas pelo próprio jogo ou editar a letra de cada uma como preferir, abrindo centenas de possibilidades para a criatividade dos jogadores.

 

A vida como ela é

tomodachi-life-playreplay-004Por fim, dá pra dizer que é difícil não gostar de Tomodachi Life. O game realmente é tudo aquilo que a Big N mostrou em seu irreverente Nintendo Direct, mas de uma forma diferente do que imaginamos à primeira vista. É perceptível que a Nintendo teve a intenção de criar um verdadeiro pequeno mundo naquela ilha cheia de Miis onde, assim como na vida real, você não pode impor sua vontade.

As situações bizarras que ocorrem são apenas um charme a mais na desenvoltura do jogo como um todo, mas é um dos fatores que mais vão conquistar aqueles que se aventurarem por Tomodachi Life. É quase impossível não sentir curiosidade com o que acontecerá com seus Miis ou se divertir com cada situação nova que ainda acontece mesmo depois muito tempo de jogo.

Não vai ser difícil se surpreender com a profundidade das coisas que os Miis nos dizem aleatoriamente, quase como se soubessem o que se passa na sua cabeça naquele exato momento. Foi marcante quando o meu próprio Mii disse que “não é porque algo na vida parece não ter sentido que não tem um significado”. Não era algo que eu esperaria ver em um jogo assim. Mas, coincidentemente ou não, é a melhor definição que alguém poderia fazer a Tomodachi Life.

 

[infobox color=”eg. light”]

Tomodachi Life — Nota 4/5

Desenvolvimento: Nintendo
Plataforma: Nintendo 3DS[/infobox]

Compartilhe