ás

BGS 2015: Por onde anda a Nintendo?

Já está acontecendo em São Paulo a edição 2015 do Brasil Game Show, maior evento especializado em games da América Latina. Nós estivemos lá, nossos parceiros e amigos estiveram lá, a Sony, a Microsoft e a Ubisoft, idem. Até o Yoshinori Ono esteve lá! Mas e a Nintendo, por onde anda?

nintendo-bgs-playreplay-2015

Desde 2012 a Big N não dá as caras no evento brasileiro, sob o argumento de que todos os seus comunicados são feitos via Nintendo Direct, mais ou menos como acontece no período da E3. Mas a verdade é que a ausência da Big N em território tupiniquim é tamanha, a ponto de não haver nenhum esforço para retomar a distribuição oficial dos produtos da empresa por aqui, algo perdido desde o fim da Gaming do Brasil.

O jogador padrão, em um primeiro momento, não sentiu todos os efeitos do fim da parceria, já que adquirir os produtos da Nintendo via ‘mercado cinza’ não era exatamente nenhuma novidade. Mas aí veio a alta do dólar e importar jogos deixou de ser uma alternativa viável. E uma vez que a empresa não tem planos de produzir seus jogos em território nacional, bem… pagamos R$300,00 por uma cópia de Mario Maker.

A nossa “sorte” é que estamos em um período de entressafra nos títulos de Wii U e 3DS. Já imaginou se isso calha de acontecer durante o lançamento do novo Zelda? Pois é.

Estar ou não estar na BGS 2015 é apenas mais um sintoma de um distanciamento que parece contrariar todas as tendências do mercado. E não estamos falando de um mercado qualquer, mas do 11º colocado no ranking dos países que mais geram receitas com jogos eletrônicos, segundo pesquisa realizada pela Newzoo (centro de pesquisa em marketing especializado em games).

01132008507672

Toda aquela história de que foram os Irmãos Piologo e seu corinho de “Ei, Wii U, vai tomar no c*” os responsáveis por afastar a Nintendo do evento brasileiro não passa de furada. A atitude é reprovável, mas passa longe de ser suficiente para justificar dar as costas para o público brasileiro.

https://www.youtube.com/watch?v=bwfYiXfHaDw

Marcelo Tavares, criador e organizador do Brasil Game Show, deixou claro ao longo dos últimos anos que tem se esforçado para trazer a gigante de Quioto de volta ao Expo Center Norte, sem sucesso. Será que com o lançamento do NX e a mudança no comando da empresa, teremos anos menos nebulosos pela frente? Difícil dizer.

Recentemente tivemos a notícia de que a Nintendo deixou o grupo célebre das cem marcas mais valiosas do mundo. Será que tudo isso é apenas uma coincidência infeliz? Temos certeza que não.

Os comentários estão fechados.