ás

Carbono-14: Confira 7 curiosidades interessantes sobre Resident Evil

Resident Evil, uma das principais franquias da Capcom, arrecadou milhares e milhares de fãs ao redor do mundo. Sua trama cheia de conspirações, organizações malígnas e armas biológicas (dentre elas os sempre bem-vindos zumbis) é bem rica, e mesmo seus clichês acabam fazendo parte importante de todo o folclore criado por Shinji Mikami em 1996.

Mas, apesar de boa parte dos fãs conhecer muita coisa sobre a série, Resident Evil ainda tem algumas informações menos conhecidas — e alguns detalhes que muitas vezes passam despercebidos. Por isso, a gente montou uma pequena lista com algumas curiosidades sobre a série. Vamos dar uma olhada?

 

7 – Chris e Leon levaram 15 anos para se encontrar

chris-leon-resident-evil-6-playreplay

Não há duvidas de que Chris Redfield e Leon Kennedy são, ao lado de Jill Valentine, os personagens mais queridos dos fãs de Resident Evil. E, mesmo que os jogos deixassem claro que eles mantinham algum tipo de comunicação (como o relatório que o Leon manda para o Chris em RE5, por exemplo), por muitos anos a galera implorava para ver os caras interagindo diretamente. Muito tempo — e diversos títulos numerados — depois, finalmente a dupla cruzou caminhos em Resident Evil 6. E deu uma treta…

Apesar de ambos lutarem do mesmo lado, combatendo organizações como a Umbrella e a Tricell, o brutamontes de bom coração e o agente de língua afiada acabaram saindo no braço quando se encontraram pela primeira vez. E, adivinha só, a briga foi por causa de mulher. Vão com calma, garanhões!

[youtube id=”CMZkxl-6sgA” width=”633″ height=”356″]

 

6- Rebecca Chambers seria um alívio cômico no primeiro RE…

rebecca-chambers-eddie-murphy-playreplay

Em uma das primeiras versões do primeiro Resident Evil, não só a paramédica delicada dos S.T.A.R.S. seria o alívio cômico do jogo como também seria um homem. Quer mais? O personagem, que se chamaria Dewey, seria inspirado no ator Eddie Murphy.

No final das contas, a Rebecca que conhecemos ficou na versão comercializada. Mas Dewey não foi deixado de lado: seu nome foi usado no personagem Edward Dewey, um dos pilotos do Bravo Team dos S.T.A.R.S., e alguns traços de sua personalidade foram usados no personagem Jim Chapman, de Resident Evil Outbreak.

dewey-resident-evil-playreplay

 

5- … e Barry Burton seria um ciborgue!!

barry-burton-ciborgue-resident-evil-playreplay

Achou o item anterior bizarro? E se eu te disser que o gradalhão Barry Burton seria um ciborgue?

A ideia inicial do time de desenvolvimento do primeiro título da série era de ter, dentre os personagens secundários, um ciborgue, com aquele tradicional estilo burucutu, chamado Gelzer (ou Gezzler). No final das contas, o visual parrudão foi mantido na versão definitiva do personagem – e assim surgiu o Barry que todos amamos.

gelzer-resident-evil-playreplay

 

4- Claire, Chris e Billy curtem o som da banda Queen

freddie-mercury-queen-playreplay

Ok, essa é um tanto óbvia. Reconheço isso. Mas nem todo mundo é familiarizado com o som da banda do saudoso Freddie Mercury, então vale a pena citar essa curiosidade aqui na nossa lista. Pra quem não conhece, a banda Queen fez um tremendo sucesso entre o final da década de 1970 e o início da década de 1980. Mesmo hoje, quase três décadas depois, o grupo ainda está na ativa, e sucessos como Bohemian Rapsody, We Are The Champions e Don’t Stop Me Now até hoje dividem espaço nas rádios com canções mais recentes.

[youtube id=”HgzGwKwLmgM” width=”633″ height=”356″]

Em Resident Evil 2, o colete usado por Claire Redfield traz uma figura angelical, segurando um torpedo, acompanhada da inscrição “Made in Heaven”, fazendo referência a uma canção do álbum homônimo, gravado em 1991 e lançado após a morte do lendário cantor. A mesma estampa ilustra as costas da jaqueta usada por Chris como uma de suas roupas alternativas no primeiro jogo.

chris-claire-made-in-heaven-playreplay

Já em RE Code: Veronica, Claire usa um novo colete com os dizeres “Let Me Live”, fazendo referência a outra faixa do álbum Made in Heaven. Outra homenagem de Mikami à banda inglesa foi feita na tatuagem de Billy Cohen, um dos protagonistas de Resident Evil Zero. O rapaz trazia estampados em seu braço os dizeres “Mother Love”, mais uma referência ao último disco com participação de Freddie Mercury.

[youtube id=”CoR8i_7kM-U” width=”633″ height=”356″]

 

3- Sherry Birkin foi substituída por Ashley Graham em RE4

ashley-graham-resident-evil-4-playreplay

Leon e Sherry se encontraram pela primeira vez durante os acontecimentos vistos em Resident Evil 2. Na ocasião, a moça era apenas uma garotinha tentando sobreviver em meio ao caos que se tornou Raccoon City, e o rapaz era um policial novato. Alguns anos depois, com a chegada de Resident Evil 4, Leon havia se tornado um agente do governo e devia resgatar uma loirinha… e não, não era a Sherry. Mas quase chegou a ser.

Durante o desenvolvimento de RE4, quando o jogo ainda tinha uma pegada mais puxada para o sobrenatural (com fantasmas e brinquedos se mexendo), Sherry teria papel fundamental na história. A trama de Resident Evil 3.5 (como ficou conhecida a versão descartada de RE4) traria Leon investigando o sequestro de Sherry, provavelmente obra do vilão Albert Wesker, e pistas o levariam até a Europa — onde ele encontraria uma mansão assombrada e seria infectado pelo Virus Progenitor.

resident-evil-3-5-revista

A revista Cube publicou uma matéria com informações sobre Resident Evil 3.5 (clique para ampliar)

Na versão de RE4 que chegou às lojas, a trama foi modificada (incluindo Ashley Graham e o parasita Las Plagas) mas manteve algumas características marcantes, como Leon sendo infectado e a viagem até a Europa.

 

2- RE3 e Code Verônica tiveram seus papéis invertidos

resident-evil-code-veronica-playreplay

Depois do lançamento de Resident Evil 2, a Capcom começou a trabalhar simultaneamente na produção de dois jogos da série: Resident Evil 3, a continuação da história principal, para DreamCast; e Resident Evil: Nemesis, um spin-off cuja história começaria a se desenrolar um dia antes de RE2.

Por conta de um acordo com a Sony, que exigia que um game numerado da série saísse para a plataforma vigente da empresa, os jogos tiveram seus nomes trocados: Resident Evil: Nemesis virou Resident Evil 3: Nemesis, sendo lançado para PlayStation; e Resident Evil 3 virou Resident Evil Code: Veronica, saindo para DreamCast.

 

1- A Capcom planejava lançar um spin-off antes de RE2

resident-evil-dash-playreplay

No finalzinho do ano de 1996, após o lançamento do primeiro Resident Evil, Yoshiki Okamoto (produtor do jogo) falou com a revista Genki Playstation a respeito de um novo título spin-off da série para o Sega Saturn. Segundo Okamoto, o novo game se passaria três anos após os acontecimentos do primeiro RE, e mostraria uma nova dupla de protagonistas investigando relatos de plantas infectadas atacando pessoas nas proximidades da Mansão Spencer, nas montanhas Arklay.

Infelizmente, o projeto conhecido como Resident Evil Dash foi abandonado para não atrapalhar a produção de Resident Evil 2. A ideia das plantas infectadas, porém, foi usada posteriormente em RE2 e em Resident Evil Outbreak File #2.

 

Menção Honrosa: Não aceite caronas do Leon

leon-kennedy-carro-playreplay

Quem jogou Resident Evil 2, 4 e 6 sabe que Leon Kennedy não é exatamente o melhor motorista do mundo. O cara já conseguiu bater (e capotar, e explodir) carros que dirigia e até mesmo derrubar um helicóptero e um avião comercial (!!) que pilotava. Dica de amigo: se o Leon te chamar pra dar uma volta, recuse.

[youtube id=”U3RkQBQbrnk” width=”633″ height=”356″]

[infobox color=”light”]

Carbono-14 é a coluna semanal do PlayReplay destinada a escavações de fatos históricos sobre as franquias e sistemas mais amados por nós, gamers.

[/infobox]

Compartilhe