ás

Especial: O encontro dos mais fortes: Street Fighter x KOF

Essa é uma das séries que mais gostei de escrever, em quase um ano de PlayReplay. Colocar personagens de jogos clássicos em um duelo mais aberto e sem apelações é o máximo, já que nos possibilita conhecer um pouco mais a fundo a história dos nossos ídolos.

Nos dois primeiros encontros, tivemos a disputa entre os bosses de Street Fighter e os de Fatal Fury e KOF. Em ambas as oportunidades, a galera da Capcom saiu derrotada, mesmo que por uma margem apertada de pontos. Como os caras não gostam de levar desaforo pra casa, decidiram tirar um novo racha, dessa vez entre os mocinhos das séries. Será que dessa vez vai? Ou voltarão pra casa, mais uma vez, derrotados?

Assim como nas disputas anteriores, os embates serão divididos em quatro critérios chave, de forma a deixar o duelo mais equilibrado e divertido! São eles: Técnicas, Cenários, BGM e Relevância em suas respectivas séries.


 Pelo lado dos desafiantes, temos Ryu, Ken e Chun-Li, três dos mais tradicionais guerreiros de Street Fighter. Já pelo time dos desafiados, defendendo o Troféu PlayReplay, eis que surgem Kyo Kusanagi, Iori Yagami e Mai Shiranui. Todos prontos?

FIGHT!

 

Chun-Li x Mai Shiranui

chunli-mai-playreplay

Começamos com as musas de cada uma das franquias! Além de belíssimas, Chun-Li e Mai estão entre as mais poderosas mulheres do mundo dos games. Experientes nas arenas, ambas estão em atividade desde o começo da década de 90, quando estrearam em Street Fighter 2 e Fatal Fury 2, respectivamente. Qual das duas vai levar a melhor?

 

Técnicas

Logo que surgiu, a lutadora chinesa contava apenas com a sua agilidade e um belo jogo de pernas, capaz de surpreender qualquer adversário em uma velocidade surpreendente. Não tardou até ganhar sua própria magia, o kikouken. Com o tempo, foi aprimorando e refinando seu estilo, mas sempre em torno de seus chutes e saltos. Tem em seu Spinning Bird Kick um excelente contragolpe, além do mortal hyakuretsukyaku, ou Lightning Kick.

Mai é uma kunoichi, herdeira do clã Shiranui. Sensual desde a sua primeira aparição, domina o uso de leques como armas de combate, usando-os como projéteis (técnica conhecida como Kacho Sen). Além disso, é capaz de inflamá-los para um ataque corporal (Ryuu Enbu), ou de projetar-se a frente com toda sua força, em um golpe bastante veloz.

O arsenal de ataques de Chun-Li é superior, quando pensamos em ataques físicos. Em compensação, Mai equilibra a disputa com suas técnicas especiais. Vale inclusive ressaltar que as duas já trocaram sopapos no crossover entre as companhias, Capcom vs SNK. Pra não ficar mal nessa, melhor deixar em um empate!

 

Cenários

Como se trata de uma disputa entre duas veteranas, muitos cenários já foram utilizados para representá-las. Como o nosso espaço é limitado, vamos nos ater a primeira arena de cada uma delas nas séries em questão, ok? Em KOF, a primeira aparição de Mai Shiranui foi em 1994, quando ela ainda representava o time da Inglaterra, ao lado de King e Yuri Sakazaki.

chunli-cenario-playreplay mai-cenario-playreplay

 

Chun-Li sempre lutou em seus país natal, a China. Em seu cenário de estreia, temos uma rua típica chinesa, cheia de transeuntes e comerciantes locais. Conforme foram sendo lançadas atualizações do game, mudanças sutis transformaram o céu azul em um belo entardecer.

Mai, por outro lado, estreou em KOF lutando longe de casa. Seu cenário é repleto de referências da cultura britânica, como os soldados da Guarda Real Britânica e o ônibus vermelho de dois andares. Ao fundo, é possível enxergar um dos principais cartões postais da cidade, a Tower Bridge.

tower-bridge-playreplay

Ainda que ambos os cenários representem bem os países em questão, a SNK sempre foi mais caprichosa com suas arenas. Mostrar pontos turísticos reais é um ponto a mais na experiência proporcionada pelo game. Logo, um ponto para a kunoichi japonesa! 1 x 0 Mai Shiranui!

 

BGM

Seguindo o padrão dos cenários, a disputa será entre a primeira música de ambas nas respectivas séries. Sem muitos rodeios, o ponto é de Chun-Li. O tema do time inglês é genérico e poderia embalar qualquer coisa, desde um game de luta até uma fase de um game do Sonic. E o que lhe falta em raízes, sobra do outro lado: o tema da chinesa é rico e super inspirado na cultura local. É impossível não associar, mesmo sem conhecer a série!

Disputa empatada em 1 x 1!

 

Relevância

Chun-Li e Mai Shiranui são as musas de suas franquias. Mesmo que outras mulheres tenham sido introduzidas aos seus respectivos games, sinto muito: ainda não estão no mesmo patamar. Por essas e outras, declarado está mais um empate, encerrando a disputa em 1×1!

 

 

Ken x Iori Yagami

ken-iori-playreplay

Agora a disputa pega fogo, no sentido literal! De um lado e de outro, estamos falando dos homens de confiança, aqueles que ocupam o segundo posto em suas respectivas séries. Pelos Street Fighters temos Ken Masters, o eterno carateca norte-americano de madeixas loiras. No outro corner, o revoltado, endemoniado e outros adjetivos negativos, Iori Yagami. É a disputa dos bad guys! Quem leva essa?

 

Técnicas

Ken despontou como um player 2 e sombra de Ryu. Seus golpes eram meras cópias do carateca nipônico, o que é natural, visto que ambos são discípulos do mesmo mestre. As coisas só começaram a mudar em Super Street Fighter 2, quando o norte-americano se enveredou pelo caminho dos chutes e shoryukens, enquanto Ryu acabou se dando melhor com socos e hadoukens.

Iori, por sua vez, é usuário das chamas azuis e de um estilo de luta bastante peculiar e selvagem. Além disso, o jovem ainda carrega dentro de si o poder Orochi, que lhe concede a sede de sangue e uma força incrível. Em sua versão Orochi, Iori luta seguindo seus instintos animais, com velocidade e poder incríveis. E é por conta desse poder oculto, que Iori leva a vitória. 1 x 0 Yagami!

 

Cenários

O cenário de Ken é manjadíssimo, um dos mais famosos da série. Afinal, quem não se lembra do barco nas docas, dos barris pelo chão ou daquele céu azul?

Por outro lado, Iori estreou em KOF em 1995, integrando o Rivals Team, formado ainda por Billy Kane e Eiji Kisaragi. Curiosamente, seu cenário é localizado nos Estados Unidos, sem que nenhum dos seus integrantes seja norte-americano. Vai entender, né?

Ainda assim, é um belíssimo cenário, com muitos detalhes e um sol poente lindo por trás de tudo. Tem algo mais poético que sair na porrada com esse céu alaranjado? Certamente, não. Então é 2 x 0 Yagami!

ken-cenario-playreplayiori-cenario-playreplay

 

BGM

Essa disputa é acirrada! KOF sempre deu um banho em Street Fighter no que diz respeito a trilha sonora, com exceção de uma faixa ou outra, onde a galera da Capcom parece ter caprichado mais. Uma dessas é a canção empolgada que embala o cenário do Ken, com uma pegada bem Rock N’Roll, daqueles que agitam a galera. E do outro lado, Arashi no Saxophone, uma das marcas registradas da série de Kyo e companhia, assim como Esaka e outros temas recorrentes, ano após ano. Difícil achar um vencedor, então vamos deixar empatado! Iori continua na frente com 2 x 0.

 

Relevância

Novo empate. Ken e Iori ocupam, sem sombra de dúvidas, o segundo lugar como personagens mais queridos em suas respectivas franquias. Ambos também deram as caras em crossovers e outros títulos, chegando inclusive a se enfrentar.

Ken e Iori também já saíram dos games para outros universos, com destaque para os quadrinhos, produtos personalizados e até mesmo o cinema. Pena que, nesse último, nenhum dos dois tenha sido bem sucedido. Faz parte!

Com isso, The King of Fighters leva a melhor e marca 1 x 0 sobre Street Fighter, deixando toda a responsabilidade nos ombros do capitão da equipe, Ryu!

 

Ryu x Kyo Kusanagi

ryu-kyo-playreplay

Enfim, o esperado duelo entre os capitães! De um lado, o homem-forte da Capcom e dos games de luta, Ryu! E seu adversário é ninguém menos que o herói da série The King of Fighters! Ex-capitão do trio nipônico e recém saído da escola, Kyo Kusanagi veio para, literalmente, botar fogo na parada! Quem leva essa?

 

Técnicas

De um lado, o poder destruidor do Hadouken e do outro, as chamas infernais de Kyo Kusanagi. Ryu, com o passar dos anos, especializou-se em disparar projéteis e dar bons socos. Além disso, está em luta constante para não ser dominado pelo Satsui no Hadou, um poder assassino incomensurável.

Kusanagi, por outro lado, é menos constante, já que teve seu rol de ataques modificado por diversas vezes ao longo dos anos. Em suas primeiras aparições, disparava magias rasteiras, para depois sofrer modificações que priorizavam um punho flamejante. Ambas versões são fortes o bastante para bater de frente com qualquer um, então damos esta disputa como empatada!

 

Cenários

KOF sempre se sai melhor no aspecto visual, mas não será o caso dessa vez. O cenário do trio japonês é bonito e bem movimentado, com aquele ar de metrópole decadente que marcou alguns dos mais belos cenários da série, mas não é o bastante pra competir com a arena de Ryu, que tem o Castelo de Matsue ao fundo.

matsue-castle-playreplay

A construção data do século XVII (1611, pra ser mais exato), sendo esse um dos castelos feudais mais antigos do Japão. Com trocentos anos de história nas costas, não dá pra competir, né? 1 x 0 Ryu!

 

ryu-cenario-playreplaykyo-cenario-playreplay

 

BGM

As disputas estão acirradas e não há motivo para imaginar que essa aqui seria diferente. Tanto o tema de Ryu quanto o de Kyo são referências em suas franquias, além de levar a galera a loucura, ainda nos primeiros acordes. Contudo, fala mais alto a tradição, motivo pelo qual o ponto vai para Ryu.

Esaka teve várias versões e releituras ao longo dos anos, uma melhor que a outra. Mas nenhuma delas se aproximou de Tears, tema do nosso herói em 1999. Mas como estamos considerando sempre a primeira versão, não tem jeito: Ryu amplia a vantagem e tem 2 x 0 no placar.

 

Relevância

Ryu e ponto final. Kyo foi preterido como protagonista de KOF algumas vezes, desde 1999, ainda que sem sucesso. Tentar emplacar K’ e Ash Crimson como novas estrelas da série não chegou a dar certo, já que Iori e Kyo sempre foram e serão as estrelas do show. Mesmo que já tenha participado de outros games além da sua série tradicional, o estudante nipônico ainda não está a altura do todo poderoso Ryu, que leva essa por 3 x 0, sem dar nenhuma chance ao adversário. Em entrevista a nossa equipe após a luta, Ryu foi categórico: Kyo deve ao menos derrotar Sheng Long para ter uma chance.


 

No duelo das equipes, a disputa terminou empatada em 1 x 1. Não foi dessa vez que os guerreiros da Capcom pontuaram, mas quem disse que a guerra acaba aqui? Você pode dar os seus pitacos em nossos comentários e escolher um novo trio de combatentes das sérias para as próximas disputas! Ou vocês acharam mesmo que a disputa terminaria assim?

Até a próxima!

Os comentários estão fechados.