PlayReplay

Análise: Figurado e o multiplayer que existe naturalmente

Dentre todas as “grandes” disputas de opiniões do mundo moderno, uma das mais tímidas, porém interessantes, é a “Questão do Multiplayer“. Há quem diga que nada pode superar o fato de juntar os amigos no sofá, enquanto outros defendem os múltiplos jogadores pela internet como o futuro dos jogos. Mas, em meio ao fogo cruzado, uma pequena categoria de títulos não precisa brigar. Afinal, eles sabem que tudo isso é uma perda de tempo.

Depois das palavras cruzadas, dos puzzles de Professor Layton e das questões de matemática, é o app brasileiro Figurado (iOS/Android) o próximo a “figurar” nessa lista. Todos esses tem uma coisa muito importante em comum: eles conseguem unir pessoas para resolver seus desafios sem mesmo precisar colocar atrás da caixinha a palavra “multiplayer”.

 

Meu reino por um trocadilho

Por mais estranho que isso possa soar, o gameplay de Figurado é baseado em trocadilhos. Trocadilhos visuais e gramaticais, para ser mais exato. Como em uma “revistinha Coquetel digital”, a ideia é ver alguns desenhos non-sense e entender que palavra ele, por algum motivo, representa. E não são coisas tão óbvias, ou que precisam daquele seu conhecimento perdido do Ensino Médio: a ideia aqui é realmente brincar com os sons das palavras e a forma com que elas são escritas.

A sílaba “BAL” e um cachorro do lado: qual seria a resposta? “Balcachorro”? Não, isso nem existe… “Buldogue”? “Bal” é parecido com “Bul”, talvez seja uma pegadinha… Não, também não. Que tal bal…cão? Isso, balcão. “Bal” + um cão. Ok, agora você pegou o espírito do jogo (e provavelmente deu aquela risadinha no canto da boca).

Isso é o que eu chamo de pensar fora da caixa.

Isso é o que eu chamo de pensar fora da caixa.

E tudo continua até você perder a sua própria definição de “pensar fora da caixa” ou ultrapassarem os limites sensatos dos trocadilhos. Uma grande letra K com um A no meio? Bom, o “K” está dentro do “A”, então, “k no a”, ou melhor, “canoa”! Ou então, você tem um A com um coração invertido do lado? Aódio? Acoração? Não: como a figura está invertida, a palavra também fica assim e chegamos em “amora” = a + amor ao contrário.

Por mais que isso pareça chato e difícil, tudo corre de forma bem tranquila. A curva de aprendizado chega a ser até lenta, com alguns bem fáceis quase no meio do jogo. E, bom, nem preciso dizer a cara que qualquer um fica depois de adivinhar um desenho complicado, quase uma hora depois, e ver como aquilo era fácil. Sim, isso acontece bastante, experiência própria.

 

O tal multiplayer inerente ao jogo

Esta seção do texto explica toda a introdução. Eu realmente espero que isso faça algum sentido para você.

Palavras cruzadas. Surgiram em 1913 e te desafia a encontrar palavras que encaixem perfeitamente nos espaços, seguindo certas dicas. As palavras se intercruzam e começam a dar dicas para as outras. Parece simples, mas você nunca sabe todas elas (a não ser que você seja realmente bom).

Professor Layton. Surgiu em 2007 e te desafia a resolver vários puzzles muito interessantes, enquanto você conhece a história de um gentleman tipicamente britânico e seu ajudante. Cada puzzle tem uma resposta única e sempre tem dicas para te ajudar. Parece simples, mas você nunca consegue resolver todos (a não ser que você seja realmente bom).

Questões de matemática. OK, isso nem é um jogo, mas todo mundo que passou pela época de fazer vestibular sabe como é. São questões que abrangem muitas áreas do conhecimento e, geralmente, existe uma resposta certa e exata. Parece simples, mas você nunca consegue resolver todos (a não ser que você seja realmente bom).

Todo esse papo furado tem três pontos em comum com Figurado e muitos outros jogos: são propostos desafios, eles tem respostas certas e únicas e, geralmente, você não consegue resolver todos “a não ser que você seja realmente bom”. E o que todo mundo faz? Exatamente, pergunta para a pessoa do lado, porque são poucos que são realmente bons. Essa é a mágica do “multiplayer inerente” de que estou falando.

"Eu vejo trocadilhos... TODO O TEMPO!"

“Eu vejo trocadilhos… TODO O TEMPO!”

O jogo é claramente para ser jogado por uma única pessoa, mas, conforme a coisa complica, ela desencadeia uma interação com as pessoas do redor. O melhor é que tudo fica mais divertido quando outras pessoas começam a olhar para o celular, tentando adivinhar a mesma palavra que você. Quando você menos vê, já resolveu bem mais desafios do que poderia imaginar.

Figurado consegue passar esse cenário de uma forma extremamente natural. Parece até que ele foi feito para ser jogado com outras pessoas do lado, mesmo sem dizer isso explicitamente. Uma coisa é certa: a verdadeira e esperada “experiência de jogo” só funciona quando tiver com outros por perto tentando fazer os piores trocadilhos possíveis. E isso é realmente um mérito.

 

Página após página

A ideia do jogo parecer uma “revistinha Coquetel digital” faz até mais sentido do que você imagina. Todo o visual do app realmente remete a uma história em quadrinhos e os desenhos tem uma qualidade bem interessante. Fica aí a ideia de fazer uma versão impressa do Figurado, porque não faltaria muito para isso se concretizar e eu imagino que ficaria bem interessante.

Como não poderia faltar, o jogo ainda te dá dicas e letras das palavras ainda não descobertas, ajudas que podem ser compradas com moedas ganhadas resolvendo desenhos ou a partir de microtransações. Se você jogar com seus amigos, como sugeri, provavelmente vão sobrar moedas, já que a coisa não é tão balanceada assim. Enquanto elas sobram, faltam desenhos, que ainda não são muitos e, caso seus amigos se animem muito, podem esgotar em uma única conversa de bar. Mesmo assim, sempre atualizações são feitas com novos desafios.


De toda forma, Figurado é aquele jogo que pode até parecer que foi feito para jogar sozinho, mas ele fica bem mais legal com outras pessoas. Na verdade, a não ser que você realmente goste desse tipo de desafio, ele não vai ter muita graça sem amigos por perto. Além disso, ele é bonito, tem trocadilhos engraçados, é brasileiro, em português e você não paga nada por ele (a não ser que queria alguns desenhos adicionais). Que tal dar uma chance para ele na próxima fila do restaurante sexta à noite?

Figurado — Nota 4/5

Desenvolvedora: Antworks Studio
Plataformas: Android, iOS
Plataforma utilizada na análise: Android

Cientista da computação em formação, sempre encontra tempo para falar sobre jogos, séries, filmes e viagens no tempo. Adora jogos musicais e puzzles e ainda vai te convencer a aceitar Back to the Future como o melhor filme da sua vida. No PlayReplay, você pode encontrá-lo escrevendo textos e fazendo vídeos.
Cursos Avançados