ás

Retrô: Lembra das locadoras de games?

Enterprise Game Locadora, Mania de Game, Fun Games, HollyGames, Video e Cia e ProGames. Ufa. Essas são apenas algumas das locadoras de videogames que ficavam a menos de 20 minutos de distância de minha casa lá no comecinho da década de 1990.

Se você já nasceu conectado à internet, pode até estranhar o cenário descrito por esse velhaco que vos escreve, mas no meu tempo — pronto, agora eu confirmei oficialmente minha idade avançada — nada dava mais alegria ao coração dos jogadores do que uma visita à locadora mais próxima. Pode acreditar, elas estavam em todos os lugares e eram o point favorito dos gamers!

Mas o tempo passa, o tempo voa, e a poupança das locadoras acabou não resistindo às mudanças do mercado. A internet e a pirataria acabaram fisgando boa parte dos jogadores e pouquíssimas locadoras souberam se adaptar a isso. Algumas fecharam as portas, outras viraram lan-houses, e há até mesmo aquelas que mudaram completamente de identidade e se tornaram lojas de conveniência. Mas uma coisa todas as locadoras têm em comum: elas deixaram saudades.

locadoras-de-games

 

Para todos os gostos

Ao passear por um bairro desconhecido ou avistar uma galeria ou shopping uns anos atrás, pode ter certeza que uma locadora de games estava apenas esperando para ser descoberta (ou no mínimo estava prestes a ser inaugurada!). Elas eram onipresentes mas, ainda assim, cada uma tinha o seu próprio charme. Independente da sua preferência videogamística, havia locadora para todos os gostos e espécies de jogadores!

Tínhamos desde locadoras especializadas em ajudar o pessoal na jogatina multiplayer, com várias televisões e consoles instalados para fazer a alegria da galera — que atire a primeira pedra quem nunca matou aula para jogar Street Fighter II com os amigos (desculpa, tia Aline!) — até locadoras mais abastadas que ousavam ao trazer equipamentos importados por uma fortuna apenas para chamar a atenção dos jogadores e conquistar mais fregueses — a única vez em que vi um Virtual Boy ao vivo foi em uma locadora!

Havia também locadoras especializadas apenas em uma certa empresa, pensando especialmente naqueles que tinham só um console em casa. Se a Console Wars entre o Super Nintendo e o Mega Drive estourava nos EUA e no Japão, o mesmo parecia acontecer nas locadoras aqui da nossa terrinha: de um lado tínhamos lojas especializadas em Super Nintendo, e muitas vezes na mesma rua podíamos encontrar uma locadora concorrente totalmente dedicada a jogos de Mega Drive. Mas, verdade seja dita, apesar da rivalidade, não era nem um pouco raro nos aventurarmos na “locadora inimiga” só para sentir um gostinho dos outros consoles.

snes-megadrive-controles

Chega a ser estranho lembrar dessa competitividade saudável, já que nos dias de hoje os jogadores parecem gostar mais de entrar na internet para falar mal dos consoles de seus amigos do que jogando seus próprios videogames, não é mesmo?

 

Cliente VIP: Very Important Player

Pode parecer bobagem, mas uma das experiências mais bacanas da época era quando você ia tanto a uma locadora que os donos já começavam a lhe tratar pelo nome. Além de se sentir um cliente VIP e uma figura ilustre, isso trazia muitos benefícios!

Imagine a cena: Banjo-Tooie estava prestes a ser lançado e você queria ser o primeiro a jogar essa maravilha. Afinal, a Nintendo World estava dando dando enorme destaque ao jogo em suas páginas na banca mais próxima e você mal conseguia aguentar o hype. Mas como alugar um jogo que não iria parar nas prateleiras?

Ora, quando o pessoal da locadora já o tinha em alta conta, bastava se aproximar do balcão e encher a boca para pedir: “cara, reserva o jogo para mim?”. É o tipo de experiência difícil de explicar para alguém que não viveu a época, mas só quem conseguiu voltar para casa com um jogo super concorrido debaixo do braço sabe como era bacana o sentimento de vitória ao alugar um jogo antes de todo mundo. Dava até gosto lutar contra o relógio e tentar explorar tudo que o jogo tinha a oferecer em um rápido aluguel de final de semana!

Aliás, esse senso de urgência também fazia com que os jogadores tivessem bem mais tolerância com as eventuais bombas que alugavam. Eu mesmo tentei zerar Super Man 64 só para não jogar fora o suado dinheirinho que gastei no aluguel! Difícil imaginar algo assim hoje em dia, não é mesmo?

locadoras-de-games-02

 

Admirável locadora nova

É verdade que sou saudosista, sinto muita falta de visitar as locadoras de meus amigos — sim, amigos mesmo, não dá para chamar de algo diferente aquelas pessoas que dividiram tantos momentos comigo — e de admirar aquelas prateleiras repletas de jogos prontos para serem alugados. Mas a atual geração também traz muitos benefícios e conveniências aos jogadores!

Quantas vezes não precisamos sair de casa no maior temporal apenas para devolver um jogo que nem gostamos? E que tal aquele momento constrangedor em que você esquecia que tinha alugado um game, deixava de jogá-lo e no dia seguinte precisava pagar uma multa mais cara que a sua mesada por algo que nem curtiu direito?

O mundo digital resolveu esses e muitos outros problemas. Hoje todo jogo que você quiser está a um mero clique de distância. Dos clássicos retrô aos últimos lançamentos, é possível jogar de tudo na eShop, PSN e Live, que garantem um acesso rápido e conveniente a um acervo de jogos muito maior que o das locadoras, que foram febre nos anos 1990. Mas que elas deixaram saudades, isso deixaram…

Compartilhe