ás

Retrosfera: Guia do Colecionador de Games (Parte 1)

Quando idealizamos o PlayReplay, logo imaginamos que ele seria a casa de todo tipo de jogadores, mas com um quartinho especial pra galera retrô-gamer. Carbono-14 e artigos retrô aos montes não nos deixam mentir, corre em nossas veias o aroma dos cartuchos antigos!

Pensando em vocês, está inaugurada a Retrosfera, uma nova seção especialmente voltada para os colecionadores! Relatos, dicas e entrevistas de montão, com um espaço extra para você exibir suas novas aquisições e tirar todas as suas dúvidas!

Pra começar com o pé direito, confira abaixo a primeira parte do nosso artigo com dicas sobre como ser bem-sucedido em sua coleção de games!


GUIA DO COLECIONADOR DE GAMES – PARTE 1

Muito antes dos famigerados FPS com 32 pessoas jogando de forma simultânea, certamente já era possível se divertir com um joystick nas mãos. Um punhado de sprites, um objetivo na mente e um copão de refrigerante já nos garantiam horas e horas a fio de emoções. Bate uma saudade, né? Dá vontade de voltar no tempo e reviver todas aquelas aventuras, a sensação de ter que soprar um cartucho, anotar passwords intermináveis, enrolar e desenrolar fios… Voltar no tempo não é possível, mas você pode ter uma bela coleção de consoles que te ajudem a lembrar um pouquinho dos bons tempos, que tal?

galeria_pablo_playreplay

Essa coleção invejável de Zelda é do nosso editor de vídeos, Pablo Montenegro

Colecionar videogames é uma arte e um grande prazer, como bem descreveu nosso redator Gabriel Vlatkovic em seu artigo. Mas sem o devido cuidado, pode se tornar um hobby extremamente caro e ainda trazer algumas dores de cabeça desnecessárias. Se você quer recuperar o tempo perdido e tem interesse em videogames antigos, fique ligado nas nossas dicas para montar uma coleção bacana sem grandes problemas!

 

É preciso ter foco

Funciona exatamente da mesma forma para qualquer tipo de coleção e deve ser o seu primeiro questionamento antes de investir seu rico dinheirinho: o que, exatamente, você quer colecionar? Um sistema específico? Apenas consoles de uma empresa ou games de uma só franquia?

Direcionar seus esforços com foco onde quer chegar é uma forma de reduzir custos e evitar gastos desnecessários. Games antigos não são necessariamente baratos (principalmente aqui no Brasil), então é bom mentalizar a jogada para não se perder.

Outro ponto importante é ter um limite sobre o quanto está disposto a investir, principalmente para não perder a mão e acabar gastando mais do que pode. Sabe aquele momento em que você criticou sua mãe por ter muitos pares de sapatos e apenas dois pés? Pois é, a verdade dói e a internet será cada vez mais tentadora, na medida em que você descobre os lugares certos para comprar seus jogos. É preciso ter cuidado!

P1030929

Essa é a coleção de Xbox 360 do Guilherme Soares. Reza a lenda que ele terminou todos esses jogos

 

Jogador ou colecionador?

Ainda na zona dos pensamentos, é válido se questionar até onde você pretende ir. Entre jogador e colecionador, a diferença é grande e envolve o seu bolso. Jogos raros e caros não são necessariamente bons e divertidos. Querer tê-los ou não em sua estante é a diferença entre um grupo e outro!

Eu, por opção e “imposição momentânea da vida”, decidi me encaixar no grupo dos jogadores. Compro apenas o que pretendo jogar, sem me preocupar em ter um padrão. Montei uma base sólida de consoles e os alimento aos poucos, conforme pinta a saudade de algum medalhão. É uma aposta segura e já passa a sensação de estar novamente em contato com aquela fase áurea da vida!

10426631_820419291302791_1906442409991435278_n (1)

O que você daria para ter um 3DS autografado pelo Shigeru Miyamoto?

Se você quer ir além, é importante considerar alguns requisitos básicos para ser um colecionador bem sucedido: dinheiro, espaço físico, tempo, paciência e uma pitada de desconfiança. Os dois primeiros são óbvios, já que não é possível caçar ou cultivar cartuchos em uma horta, tampouco compactá-los em uma pokébola, não é verdade? Tempo para pesquisar é vital, assim como a paciência para fazer bons negócios sem gastar demais e a desconfiança para não cair em um conto do vigário.

 

Contos do vigário?

Aos montes, galera. Em um grupo do Facebook que participo, até resma de papel já enviaram pelo correio, fazendo passar pelo peso de alguns games. Pilantragem existe em qualquer lugar, mas parece fazer parte da nossa cultura querer levar vantagem sobre os coleguinhas, então é bom ficar esperto durante as suas negociações. Preços baixos demais, informações que não batem, ausência de fotos e falta de garantias sobre o produto podem ser indícios de uma cilada, Bino!

Pra facilitar a sua vida, siga as dicas abaixo! Não precisa agradecer, basta fazer uma pequena doação de jogos e revistas em nome do companheiro redator!

  • Preço baixo demais? Desconfie. Pode ser só uma resma de papel ou um produto danificado.
  • Peça sempre fotos do cartucho/console, de preferência em vários ângulos. Se possível, com um pedaço de papel com o nome do indivíduo ao lado. Ajuda a descobrir imperfeições no produto, além de garantir que o vendedor tem o game em mãos e não está usando uma foto qualquer da internet.
  • Se estiver negociando em um fórum ou rede social, peça qualificações do vendedor. Pode ser do mesmo grupo ou de outros espaços em que ele trabalhe. Pergunte sobre prazos, se o vendedor se mostrou solícito para tirar as dúvidas e se voltariam a negociar com o mesmo.
  • Se a compra for feita pela internet, prefira efetuar seu pagamento via PagSeguro, MercadoPago ou outro meio de proteção ao consumidor. Assim, se o vendedor faltar com a sua palavra, você ainda pode recuperar seu dinheiro sem ter que recorrer à Polícia. Se esse for o caso, abra um boletim de ocorrência o quanto antes, sempre munido de screenshots que confirmem sua conversa com o vendedor.
  • Caso o vendedor seja da sua região e você decida fazer a retirada em mãos, opte sempre por ambientes públicos e bem frequentados. Shoppings, por exemplo. E tente sempre ir acompanhado.

 

E termina aqui a primeira viagem à Retrosfera! Claro que ainda restam muitas dicas para dar, ou você achou que seria tão fácil assim montar uma boa coleção de games? Fiquem ligados para o próximo texto, com a continuação do nosso guia e a primeira galeria de coleções de games!

Quer mostrar a sua? Mande um email para [email protected]!

Compartilhe