ás

Top 5½ Disney nos 16 bits

Um mundo de magia, com princesas e castelos, além dos personagens mais cativantes dos desenhos infantis. Disney é sinônimo de riso e de sucesso há mais de 90 anos, marcante nas telonas, telinhas e páginas de suas infindáveis publicações por todo o mundo.

Nas décadas de 80 e 90, a empresa mãe de Mickey Mouse e amigos marcou grande presença também nos videogames, com excelentes títulos de suas principais criações. Da Terra das Ilusões à Agrabah, com passagem pelas Savanas africanas, não foram poucas as vezes em que nos permitimos sonhar com um joystick nas mãos. Para recordar esses bons momentos, trouxemos no Top 5½ dessa semana uma relação dos melhores jogos da Disney para os consoles de 16 bits, além de uma bola fora. Ajeite-se em seu sofá, que é hora de recordar!

 

5. Goof Troop (Snes – 1993)

goof-playreplay

Pateta e seu filho Max abrem a nossa lista com um jogo pra lá de competente. Presença garantida nos cartuchos 7 em 1 das locadoras, Goof Troop é recheado de puzzles no melhor estilo The Legend of Zelda. É o bastante para torná-lo excelente? Não. Mas vale a pena dar uma conferida, mesmo nos dias de hoje. Quando joguei, por sinal, eu nem fazia ideia de que o Pateta já tinha um filho! Iac, iac!

[youtube id=”9dJ69Mlcph0″ width=”633″ height=”356″]

 

4. Aladdin (Mega Drive – 1993)

“Por que não a versão para Snes?”, vocês se perguntam. E não é que o game lançado para o console da Nintendo seja ruim, mas é complicado compará-lo a uma obra prima. No console da Sega, Agrabah ganhou vida beirando a perfeição. Cores vivas e condizentes com a animação, um nível assombroso de detalhes e muito capricho por parte da equipe da Virgin Interactive.

alladin-playreplay

A jogabilidade também é bem diferente entre Snes e Mega Drive, como vocês podem conferir no vídeo abaixo. Nem precisamos dizer que ambas valem a conferida, certo?

[youtube id=”uWhJOIFKtm8″ width=”633″ height=”356″]

 

3. The Lion King (Snes – 1994)

Vida longa ao Rei! Simba, Timão e Pumba revolucionaram o mercado dos desenhos animados e fizeram um sucesso estrondoso. O reflexo disso foi um game com conversões para praticamente todos os sistemas da época. Hakuna Matata!

lion-king-playreplay

[youtube id=”wpUNh557FnA” width=”633″ height=”356″]

 

2. Maui Mallard in Cold Shadow (Snes – 1996)

O “desconhecido” da lista é Maui Mallard, estrelado pelo Pato Donald. Figura entre os melhores games de plataforma da sua geração, mas deu o azar de ser lançado em um período abarrotado de bons jogos por parte da concorrência. No mesmo mês de seu lançamento, Street Fighter Alpha 2, Donkey Kong Country 3 e Marvel Super Heroes: War of the Gems chegavam às prateleiras.

maui-mallard-playreplay

Maui Mallard derruba a ideia de que jogos baseados em personagens da Disney são obrigatoriamente fáceis. Aqui, você se vira nos 30 revezando entre o Detetive Maui (Donald) e sua transformação ninja, poder concedido por um ancião.

Lançado em 1996, o game tem ótimos gráficos e trilha sonora, frutos de um Super Nintendo em seu auge. Tivesse sido lançado alguns meses antes (ou depois, quem sabe) e talvez tivesse maior êxito. Um excelente game que fez por merecer o segundo lugar de nossa lista!

[youtube id=”CAvzZ824XOY” width=”633″ height=”356″]

 

1. World of Illusion (Mega Drive – 1992)

A série “of illusion” rendeu games clássicos para os consoles da Sega. Tudo começou com Castle of Illusion (que ganhou remake em HD recentemente), mas foi World of Illusion que evoluiu a fórmula com primor.

world-of-illusion-2-playreplay

Em World of Illusion, Mickey e Donald são tragados para uma caixa misteriosa enquanto apresentavam truques de mágica para os seus amigos. Saem as bundadas e entram as capas encantadas para derrotar os inimigos!

Gráficos excelentes, mundos inspirados em outros desenhos da Disney, fases diferentes para cada um dos dois personagens e um nível de desafio razoável. Eis a fórmula perfeita para se criar um clássico. Com isso, troféu merecidíssimo para o rato e seu amigo pato! Esse sim merece um remake em HD!

[youtube id=”sax_6MiYq1Y” width=”633″ height=”356″]

 

½. Bonkers (Mega Drive – 1994)

É a primeira vez que lamento que a coluna se chame Top 5½. Tão difícil quanto decidir entre 5 bons games, foi achar um meia-boca para listar aqui. Vários outros excelentes títulos acabaram ficando de fora e eu sei que pagarei o preço por isso um dia. Disney nos 16 bits era sinônimo de vitória, ou no pior dos casos, de algumas horas de diversão. Bonkers destoa.

Eu havia pedido Mortal Kombat 3 de Natal e roía as unhas para ter meu cartucho em mãos. Tamanha foi minha surpresa quando meu pai (sim, porque o Noel que é bom…) surgiu com duas caixas nas mãos. Uma era o Mortal Kombat, enquanto a outra era… Bonkers! Deve ter vindo de baciada, brinde, alguém implorou pro meu pai levar, veio de troco… Qualquer coisa me dói menos que imaginar que algum dinheiro foi gasto nessa causa perdida!

[youtube id=”4Yoasn9ZaIo” width=”633″ height=”356″]

Crédito pelos vídeos: World of Longplays

[infobox color=”light”]E aí? Essa foi difícil, já que são muitos bons títulos para uma lista pequena. Como ficaria a sua lista? Não deixe de comentar![/infobox]

Compartilhe