Conecte-se conosco.

Destaques

Top 5½ Jogos esquecidos de GameCube

Publicado

em

Como gostamos muito do GameCube, achamos que apenas um texto para celebrar o seu aniversário de 13 anos ainda não é o bastante e decidimos fazer mais um! Dessa vez, reunimos uma lista bem bacana sobre jogos do console que acabaram esquecidos não por sua falta de qualidade, mas pela enorme concorrência de jogos incríveis que foram lançados para o console. Afinal, todos nós já deixamos de jogar várias coisas por termos outras prioridades no momento. Então, sem mais delongas, descubra agora incríveis jogos do console que acabaram se perdendo!

5. Freedom Fighters

O game desenvolvido pela IO Interactive é uma amostra do que um design criativo pode fazer por gêneros que parecem já estar saturados. Criado a partir do mesmo motor gráfico utilizado nos jogos da série Hitman da época, o shooter coloca os jogadores no comando de um esquadrão norte-americano que deseja recuperar o seu país, que fora perdido para a União Soviética durante o final da Guerra Fria.

freedom fighters--article_image

Contando com muita ação e uma pitada de estratégia, o jogo surpreendeu por sua temática criativa e por seu level design acima dos padrões, e também inovou quando criou uma barra de carisma que mede a simpatia dos soldados por seu líder, Christopher Stone, algo que define não apenas os membros de seu esquadrão, como também a credibilidade das ordens do protagonista.


4. Billy Hatcher and the Giant Egg

Eu sei que é estranho, mas controlar um garoto vestido de galinha é algo bem mais legal do que pode parecer! Exclusivo para o GameCube, o jogo da Sega é uma aventura muito desafiadora e divertida. No controle de Billy, o jogador deve atravessar cenários belíssimos enquanto consegue ovos de diversas cores, que lhe concedem poderes necessários para avançar.

s21911_gc_9

Apesar de muito simpático e criativo, o jogo, produzido por ninguém menos do que Yuji Naka (criador de Sonic), acabou ficando às sombras de grandes lançamentos da época, como The Legend of Zelda: The Wind Waker, Mario Kart: Double Dash e Mario Golf: Toadstool Tour. Fora que nem sempre um jogo em que controlamos um garoto vestido de galinha é considerado interessante por jogadores de videogames, o que é uma pena.

3. Vexx

Continuando com a série de jogos de plataforma renegados do GameCube, temos Vexx, produzido pela já falecida Acclaim. O game, que pode ser visto como mais um clone de Super Mario 64 e Super Mario Sunshine, na verdade é um dos mais criativos do gênero, e conta com algumas fases e missões realmente geniais, ainda que o jogo não seja dos mais carismáticos.

354567-vexx_4

Na jornada, o jogador assume o controle de Vexx, um garoto com garras que vê seu avô ser cruelmente assassinado por Dark Yabu, um daqueles vilões bastante detestáveis. Completamente transtornado, o rapaz parte em busca de vingança e, para isso, deve vasculhar mundos gigantescos em busca de corações negros para destravar novas fases.

Apesar do level design que beira a perfeição, o jogo foi deixado de lado pela aparente falta de apelo e carisma do protagonista e do mundo de jogo, que são sombrios e melancólicos.

2. Baten Kaitos: Eternal Wings and the Lost Ocean

O GameCube não ficou conhecido por sua grande quantidade de JRPGs, mas ainda assim o console recebeu alguns títulos incríveis do gênero. Baten Kaitos pode ser considerado um dos mais injustiçados dentre esses jogos, não apenas por ter sido lançado quase ao mesmo tempo que Paper Mario: A Thousand-Year Door e Tales of Symphonia, mas também por seu sistema de batalha, que utiliza um sistema de cartas.

batenkaitos_4

As batalhas por turnos do jogo não dependem apenas de estratégia, mas também da sorte do jogador em conseguir usar as melhores cartas de seu deck, já que a mão é selecionada aleatoriamente, o que frustrou alguns jogadores. Ainda assim, o jogo possui um dos enredos mais ousados e criativos de toda a geração e possui um visual de encher os olhos até hoje, dez anos após o seu lançamento. Apesar do fracasso comercial, a Nintendo viu potencial na Monolith Soft e a tornou uma second-party. Hoje a empresa é responsável pela excelente série Xenoblade.

1. The Legend of Zelda: Four Swords Adventures

“Espera aí. Um Zelda na lista? Isso não faz o menor sentido!” Na verdade faz sim. O jogo, que foi considerado uma sequência mais elaborada do primeiro Four Swords, lançado como bônus do relançamento de A Link to The Past para GameBoy Advance, possui uma jogabilidade bidimensional extremamente fluida e até mesmo um enredo muito bem elaborado, mas pecou em sua característica principal: a conectividade.

zelda-four-swords-adventures-b

Com foco em multiplayer cooperativo, o jogo exigiu que cada jogador possuísse um Game Boy Advance para conectar ao GameCube, o que dificultou bastante a jogatina. Afinal, encontrar mais três amigos que possuíssem tanto um console portátil quanto o cabo que conectava os consoles não era uma tarefa muito fácil.

Ainda assim, o jogo é muito bem feito e merece o nome que carrega em sua caixa, já que todos os puzzles e a exploração características da série estão intactos. O visual do game também não deixou a desejar, já que conta com diversos efeitos que só o GameCube era capaz de gerar. Infelizmente, graças a dificuldade imposta pela Nintendo para que o título fosse integralmente aproveitado, ele acabou ficando de lado em prol de outros lançamentos da época.

1/2. Charlie’s Angels

Eis um jogo esquecido que fez por merecer. Charlie’s Angels é um beat’em up baseado em As Panteras que conseguiu até chegar perto do nível de qualidade de pérolas como Superman 64 e E.T., de Atari. Com gráficos deprimentes, uma jogabilidade que não funciona de jeito nenhum e um level design assustadoramente ruim, o jogo é um daqueles títulos que causa vergonha alheia em qualquer um que o jogue por mais de cinco minutos.

hqdefault

É uma pena que nem em ser lembrado como ruim esse jogo conseguiu ser bom, e ele acabou sendo esquecido com o tempo. Ainda tenho esperanças de que essa porcaria consiga seu lugar no hall da fama dos piores jogos da história, mas assim como ser um dos melhores é bem difícil, o contrário também é uma tarefa para poucos.
[infobox color=”light”]É isso! Concordam? Discordam? Não deixem de comentar o texto com suas opiniões sobre quais são os jogos mais esquecidos do nosso querido e saudoso GameCube. Até a próxima, pessoal![/infobox]

Economista, colecionador de games e nintendista fanático reabilitado. Também é apaixonado por Zelda, Star Fox, cachorros e coelhos. Atualmente joga de tudo um pouco e, ao contrário de alguns, nem é tão pessimista assim quanto aos rumos da indústria. Ex-diretor de pautas do GameBlast, dedica-se integralmente ao PlayReplay.

Destaques

Kingdom Come: Deliverance | Os 5 melhores mods para o jogo

Kingdom Come conta com mods que podem consertar problemas do jogo ou que simplesmente contornar mecânicas irritantes.

Publicado

em

kingdom come capa

Apesar de ter sido lançado há pouco tempo, Kingdom Come: Deliverance já se mostrou ser um grande sucesso, especialmente entre os fãs de RPG que queriam algo diferente dos clichês de sempre.



É claro que um jogo deste porte e com tantos jogadores ativos acaba apresentando diversos problemas e algumas mecânicas que não agradam todo mundo.

Felizmente, os jogadores de PC podem contar com modificações feitas especificamente para resolver esses probleminhas. Você pode conferir nossa lista dos cinco mods mais úteis para Kingdom Come logo abaixo!


5. Faster Arrows

Em Kingdom Come: Deliverance, você só conta com armas reais, então aqueles que dão preferência a um estilo de combate de longa de distância, podem acabar gostando de lutar mais com um bom e velho arco e flecha.

O único problema é que o sistema de arco e flecha do jogo não é tão realista assim e as flechas são bem mais lentas do que deveriam ser. Para resolver isso, você pode usar o mod “Faster Arrows”, que ajusta a velocidade das flechas de modo mais aproveitável. Clique aqui para baixá-lo.

4. Cheap Training

Assim como em muitos outros RPGs, você pode pagar por treinamentos para melhorar certas habilidades, mas isso é algo extremamente caro em Kingdom Come.

É claro que você pode fazer bastante dinheiro no jogo, mas isso certamente vai demorar dezenas de horas. Para não sofrer tanto com o preço dos treinamentos no início do game, basta usar o mod “Cheap Training”. Ele diminui o preço para 50% ou 10% do valor original, dependendo do que você preferir. Clique aqui para baixá-lo.

3. Unlimited Weight

O mod “Unlimited Weight” é bem mais superficial e serve para aqueles que não gostam de lidar com sistemas de peso em jogos deste tipo. Basicamente, você pode carregar o que quiser sem se preocupar com o peso dos itens. Você pode clicar aqui para baixar o mod.

2. Sectorial Lockpicking

Quem já jogou qualquer game mais moderno da Bethesda sabe o quanto seus minigames de fechadura são irritantes, mas elas são toleráveis quando você aprende exatamente como elas funcionam.

Já o sistema que implementaram em Kingdom Come consegue ser ainda pior e até os desenvolvedores do game já prometeram sua alteração em uma atualização futura. Enquanto isso não acontece, você pode usar o mod “Sectoria Lockpicking”, que deixa o minigame mais viável sem modificá-lo de maneira extrema. Clique aqui para baixá-lo.

1. Unlimited Saving

Por fim, não dava para deixar de fora um dos mods mais úteis que foram disponibilizados até agora para Kingdom Come. Se você já jogou o título, deve ter percebido que não dá para salvar a qualquer momento, já que você precisa usar o item “Saviour Schnapps” toda vez que quiser fazer isso.

Como você só tem um número limitado deste item, acaba sendo irritante ter que esperar o jogo chegar em um checkpoint (para salvar sozinho) e tomar cuidado extra para não perder o progresso de horas por algum problema do próprio game, que ainda é bem instável. Felizmente, o mod “Unlimited Saving” resolve isso e permite que você salve a qualquer momento e lugar. Baixe-o neste link.

Continue lendo

Destaques

Venha fazer um Book Tour pelo mangá oficial de Splatoon

Publicado

em

A Nintendo começou a publicar um mangá oficial de Splatoon a partir de dezembro de 2017 nos Estados Unidos. Apesar de ainda não existir uma versão nacional, o livro está disponível tanto para importação como para venda diretamente pela Amazon nacional através deste link. No vídeo de hoje te convidamos a fazer um passeio detalhado pela obra. Basta clicar no player abaixo!


Veja também:


Escrito e desenhado por Sankichi Hinodeya, o mangá foi publicado originalmente no Japão através da Korokoro Comics em 2016, e depois traduzido e lançado nos Estados Unidos pela Viz Media em 2017.

Por enquanto, apenas o primeiro volume está disponível, mas a edição 2 já tem data marcada de lançamento para março de 2018, enquanto o volume 3 sai em junho de 2018.


Os três primeiros volumes são focados no jogo Splatoon de Wii U, enquanto o volume 4 já começa a mostrar a mitologia e personagens de Splatoon 2, um dos principais jogos do Nintendo Switch.

Depois de ver o vídeo, não esqueça de contar o que achou do mangá nos comentários aqui embaixo! Aliás, por que não aproveita e diz pra gente se você já leu ou se tem vontade de ler o mangá também?

Continue lendo

Destaques

Yellow e Red: uma opção simples para filas e banheiros

Puzzles simples, minimalistas e divertidos compõem dois apps que são uma ótima pedida para estarem no seu celular.

Publicado

em

“Entre diariamente para ganhar ítens bônus!”. “Aproveite essa oferta especial de 30 reais que vai acabar daqui duas horas!”. “Quer acelerar essa construção? Faça uma microtransação!”. Quer saber? Na maioria das vezes, eu acho tudo isso um pé no saco. Eu só queria um joguinho simples pra passar um tempo na fila ou fazendo as necessidades no banheiro.

E eu entendo como o mercado mobile tá crescendo e recebendo títulos mais robustos, mas não é pedir muito isso, não? Felizmente, yellowred são duas pequenas pílulas de puzzles que vão servir exatamente pra isso.

Basicamente, cada app é um conjunto de 50 enigmas minimalistas, que são resolvidos apenas utilizando com toques na tela do celular. Reconhecer padrões, resolver desafios lógicos e repetir sequências são alguns dos jeitos que o designer Bart Bonte encontrou para basear os puzzles.

yellow

yellow

Nada de microtransações, notificações indesejadas ou outros sistemas que estamos acostumados. No máximo, um sistema de dicas simples, caso você fique preso em alguma parte, mas que não vai te ajudar em alguns casos e vai te dar todas as respostas em outros. Nenhum dos enigmas são extremamente difíceis, então, recomendo que você vá no seu próprio ritmo.


yellow é um bom ponto de entrada para começar a entender o estilo do jogo e red funciona mais como um segundo desafio, que consegue, inclusive, utilizar conceitos já estabelecidos e usá-los de maneiras diferentes. Mesmo que sejam relativamente curtos, principalmente se você já gosta do estilo, valem a pena. Gratuito, interessante, divertido e minimalista: bem melhor que o rótulo daquele condicionador.

red

red


yellow e red são jogos desenvolvidos pelo belga Bart Bonte e estão disponíveis gratuitamente para Android (yellow/red) e iOS (yellow/red). Ambos os jogos permitem pagamento para retirar os anúncios, que vão aparecer entre uma dica e outra, e para apoiar o desenvolvedor.

Quer conhecer outros jogos gratuitos e inovadores para jogar e aproveitar muito? Dê uma olhada na nossa coluna Free to Play!

Continue lendo

Últimas notícias

Burnout Paradise Remastered Burnout Paradise Remastered
Games5 horas atrás

Burnout Paradise Remastered | Jogo chega aos consoles em março

A versão remasterizada de Burnout Paradise já era esperada há algum tempo, mas a EA só confirmou o lançamento hoje.

Anime5 horas atrás

Star Wars | Animador de One Punch Man recria luta entre Obi-Wan e Darth Maul

Arifumi Imai também trabalhou como animador em Attack on Titan e Guilty Crown

Cinema6 horas atrás

Pantera Negra | Filme já superou a bilheteria americana total de Liga da Justiça

Em menos de uma semana o novo filme da Marvel atropelou o flop da DC nos EUA

Música8 horas atrás

Sade | Cantora participará da trilha de Uma Dobra no Tempo com nova música

Foi divulgada a tracklist completa da trilha sonora do novo filme da Disney

Notícias9 horas atrás

Jessica Jones | Novo trailer da Netflix destaca terapia da heroína

Novos episódios estreiam em Março na Netflix

kingdom come kingdom come
Games10 horas atrás

Kingdom Come: Deliverance | Modo de salvar o jogo deve mudar em breve

Os desenvolvedores do game estão planejando um recurso de "Salvar e Sair", mas não há previsão de quando isso acontecerá.

Games12 horas atrás

League of Legends | Flamengo estreia com vitória

Mengão estreia no Circuito Desafiante de League of Legends vencendo a IDM Gaming

doom capa doom capa
Games12 horas atrás

Doom | Versão do Switch recebe controles de movimento

Depois de alguns desde seu lançamento, os jogadores de Doom finalmente terão uma alternativa melhor para mirar no Switch.

Notícias13 horas atrás

The Walking Dead | Criador queria que Rick perdesse a mão na série de TV

"Eu quero cortar fora a mão do Rick"

Cinema13 horas atrás

Star Wars | Blu-ray de Os Últimos Jedi ganha data e trailer

Star Wars The Last Jedi estará disponível em Download e Blu-Ray já em março

Anime14 horas atrás

Sword Art Online | Terceira temporada cobrirá todo o arco Alicization

Nova temporada cobrirá do nono ao 18º volume das light novels

Cinema14 horas atrás

Sharknado | Sexto filme vai misturar nazistas com dinossauros

Série trash do canal Syfy ainda encontrará um espacinho para a Arca de Noé em sua trama

Cinema15 horas atrás

Blade Runner 2049 | Rutger Hauer não queria que filme existisse

Vilão do filme não ficou satisfeito ao ver uma sequência do clássico cult ganhar forma

Games1 dia atrás

Switch | Acessório transforma o console da Nintendo em um mini arcade

Agora você já pode dar uma surra de Hadoukens nos amigos simulando fliperamas em casa

Cinema1 dia atrás

Hebe Camargo | Andréa Beltrão interpretará a apresentadora nos cinemas

Cinebiografia da saudosa apresentadora ainda não tem uma data de estreia definida

Em alta