ás

Top 5½ motivos para comprar um PlayStation Vita

Alguns meses atrás, a Sony lançou no mercado o PlayStation 4, seu novo console de mesa que veio para substituir o PS3. Não demorou muito para o PS4 cair nas graças do público: depois de uma apresentação na E3 2013 que levou a galera à loucura, logo o novo PlayStation batia a marca de 7 milhões de unidades vendidas ao redor do mundo.

Mas e o PlayStation Vita? O sucessor do PSP chegou às prateleiras americanas em fevereiro de 2012, e até agora não emplacou. A Sony até está tentando fazê-lo pegar carona no sucesso do PS4, oferecendo diversas funções de interação entre os dois aparelhos. Mas será que vale a pena gastar uma grana no portátil?

Para facilitar a sua vida, a gente juntou algumas informações sobre o pequeno notável e montou uma lista com 5½ motivos para você comprar um PS Vita.

 

1 – O hardware do Vita é bem robusto

Para um videogame de bolso, o Vita é bem impressionante. A primeira versão do aparelho conta com uma tela multitoque capacitiva OLED de cinco polegadas, painel traseiro multitoque (sem duplo sentido, por favor), processador quad-core ARM Cortex-A9 MPCore de 2GHz e GPU (unidade de processamento gráfico) quad-core SGX543MP, além de 512MB de RAM e 128MB de VRAM. Ou seja, ele é capaz de apresentar gráficos dignos de um console de mesa sem fazer muito esforço.

ps-vita-hardware

O segundo modelo do PS Vita chegou às prateleiras americanas esse ano, no dia 6 de maio, com uma redução de peso de 15% e de 20% de espessura e um ligeiro aumento no tempo de duração da bateria. Por outro lado, o portátil saiu perdendo em relação à qualidade das imagens: a tela OLED foi substituída por uma de LCD, que apesar de mais econômica (tanto financeiramente quanto em relação ao consumo de energia) não consegue reproduzir imagens tão vivas quanto às do primeiro modelo do PS Vita. Mas ainda assim tudo fica muito lindo na tela de cristal líquido.

Existe ainda o PlayStation TV, uma “versão não-portátil” do portátil que não tem tela e nem alavancas direcionais. O aparelho consiste apenas de uma caixinha que tem uma entrada para cartuchos de PS Vita, saída HDMI (para jogar usando a TV) e suporte aos controles DualShock 3 e DualShock 4. Games que utilizem algum dos recursos exclusivos do Vita (como tela de toque ou painel traseiro, por exemplo), não são suportados no Vita TV. Essa belezinha já foi confirmada nos EUA e deve chegar às lojas norte-americanas ainda no final desse ano.

playstation-tv-playreplay

 

2 – Jogos para todos os gostos

Uma das maiores vantagens do PS Vita é a variedade de gêneros de jogos disponíveis no portátil. Gosta de jogos de luta? Mortal Kombat e Injustice: Gods Among Us Ultimate Edition (e talvez até mesmo PlayStation All-Stars Battle Royale) são bos pedidas pra vocês. Prefere corrida? Tem Asphalt: Injection, Ridge Racer e Need for Speed: Most Wanted, além de ModNation Racers: Road Trip e Sonic & All-Stars Racing Transformed com uma pegada menos realista. Quer RPGs? Que tal dar uma olhada em Mind Zero, Persona 4 Golden, Ys: Memories of Celceta e nos vários jogos da série Atelier (Ayesha, Meruru, Rorona e Totori)?

persona4-golden-psvita

Também tem uma porção de jogos de tiro (os famosos FPS, como Killzone: Mercenary, Resistance: Burning Skies e Borderlands 2, por exemplo), de aventura (Tearaway, Danganronpa: Trigger Happy Havoc e Lego Batman 2: DC Super Heroes), de estratégia (Rainbow Moon e Uncharted: Fight for Fortune) e por aí vai. Tem até alguns jogos diferentes como Smart As, que foca em exercitar seu cérebro com desafios diários e divertidos.

killzone-mercenary-psvita

Existe uma gama de jogos legais dos mais variados gêneros para PS Vita, e diversos deles ainda são exclusivos do mercado japonês. Mas, aos poucos, alguns deles têm sido confirmados para o ocidente (como Sword Art Online: Hollow Fragment e Freedom Wars), então é de se esperar que a biblioteca do Vita continue sendo alimentada com cada vez mais games interessantes.

sword-art-online-psvita

 

3 – Integração com PlayStation 4

Outro recurso legal é a integração com o PS4. É possível jogar os títulos do PlayStation 4 na telinha do portátil realizando um processo de streaming, o Remote Play, onde os controles do game são adaptados para o layout do PS Vita. Na falta dos botões L2, R2, L3 e R3, por exemplo, a tela de toque e o painel traseiro emulam esses controles e, ao serem tocados, resultam na ação que seria executada quando pressionado o respectivo botão.

Dessa forma, é possível começar a jogar seu Assassin’s Creed IV Black Flag na TV no seu PlayStation 4 instalado na TV da sala e continuar a jogatina deitado na cama do seu quarto. Alías, se você estiver fora de casa, mas tiver uma boa conexão, também é possível usar o Remote Play. Seu Vita vai se conectar ao PS4 pela internet e rodar seus jogos em tempo real! Os japoneses têm ainda mais sorte, pois o PlayStation Vita TV também tem o recurso de Remote Play, permitindo que você praticamente tenha dois PlayStation 4 na sua casa.

O único problema é que, caso a conexão com a internet não esteja legal, você provavelmente vai experimentar algumas quedas na qualidade dos gráficos (da mesma forma que acontece quando você começa a ver um vídeo no Youtube e de repente a qualidade da imagem fica uma porcaria). Ainda assim, se você só for usar o seu Vita em casa, seu PS4 estiver com um cabo de rede conectando-o ao seu roteador e você iniciar o Remote Play via rede local, o resultado vai ser muito bom.

 

4 – A promessa do PlayStation Now e sua incrível biblioteca

Ainda no campo dos jogos por streaming, um dos serviços da Sony Computer Entertainment  mais aguardados é o PlayStation Now. A ideia é que grandes jogos sejam disponibilizados na nuvem por meio de um sistema que deve ficar disponível não apenas para o PS Vita, mas também para PS4 e PS3.

Imagine desfrutar de títulos como The Last of Us, Saints Row: The Third, GRID e Puppeteer na tela do seu portátil. “Peraí, mas como isso é possível? O Vita não tem poder de processamento pra rodar jogos desse nível!”. Simples: todo o processamento desses jogos é feito nos servidores da PlayStation Now. O PlayStation Vita apenas vai exibir o resultado desse processamento. É claro que vai ser necessária uma assinatura do serviço e uma conexão de banda-larga das boas quando a PS Now for liberada. Atualmente ela está em fase de testes e ainda não teve sua data de lançamento divulgada, mas já estamos aguardando ansiosamente pela chegada da PS Now.

Só vão precisar dar uma maneirada nos preços, porque se eles continuarem tão caros quanto os praticados na versão beta do serviço vai ficar bem complicado de aproveitar a biblioteca…

playstation-now-beta-precos

 

5 – Dezenas de aplicativos e funções sociais

Cansado de jogar sozinho? Que tal uma partidinha multiplayer? Mas antes, temos de concordar que jogar com alguém pela internet precisando suspender o jogo para enviar uma mensagem de texto é bem incômodo. Seria muito mais fácil organizar o ataque do seu time em Toukiden: The Age of Demons conversando por voz… e é. Afinal, o PlayStation Vita conta com um aplicativo do Skype, que permite chat por voz, o que facilita muito na hora de discutir estratégias ou só para tirar um sarro da cara dos amigos durante um versus em Call of Duty: Black Ops: Declassified.

Além das tradicionais trocas de mensagens, existem aplicativos que focam na interação social. Em conjunto com a função de tirar um print (uma fotografia) da tela do portátil, o aplicativo do Facebook permite que você compartilhe momentos das suas jogatinas com seus amigos. O mesmo é possível com o app do Twitter, que permite a troca de micro-mensagens com seus seguidores.

Para os amantes da sétima arte, aplicativos como Netflix (que requer assinatura) e Crackle tiram o máximo de proveito da qualidade da tela do aparelho para exibir lançamentos e clássicos do cinema mundial, e ainda contam com séries, animes e desenhos animados na sua biblioteca de exibição. Já o Crunchroll traz uma imensa variedade dos mais recentes animes e programas asiáticos.

Existem ainda aplicativos como Youtube, Flickr, Nico Nico, Qello, Hulu Plus, NHL GameCenter Live e muitos outros. Tem app pra todos os gostos.

 

½ – Fácil mobilidade e função 3G (ou quase)

Como todo bom portátil, o PlayStation Vita é pequeno e fácil de carregar para qualquer canto. Mas infelizmente ele tem um grande problema: sua bateria dura muito, muito pouco. Não se espante se sua carga terminar com cerca de 4 horas de jogatina, é totalmente normal — pros padrões do Vita — que a bateria dure pouco tempo. O ideal é andar sempre com o carregador… o que não faz muto sentido em se tratando de um portátil. Qual é, a ideia era poder carregar o aparelho pra lá e pra cá, curtindo sua viagem numa boa, sem se preocupar demais com carga de bateria. Mas enfim, é assim que funciona, então é bom sair de casa sempre com a bateria 100% carregada e com o carregador na mochila.

psvita-bateria

Na condição de dispositivo móvel, o PS Vita também chegou ao mercado com uma versão com função 3G. Ou seja, com esse modelo é possível trocar mensagens com seus amigos, usar a função NEAR para localizar jogadores nas proximidades e até mesmo arriscar uma partida online de qualquer lugar onde você estiver. Bacana, hein. Só que não pra gente aqui no Brasil. Infelizmente, a função 3G do Vita só funciona nos países onde a Sony fechou parceria com empresas de telefonia, como acontece nos Estados Unidos e no Japão. De nada adianta comprar o modelo 3G se você mora no Brasil, pois a única conexão com internet que você vai conseguir vai ser via Wi-Fi.

Oficialmente, a versão 3G do PS Vita não é vendida no mercado brasileiro, mas não é difícil encontrar o PlayStation Vita 3G em lojas de importados. A ideia de ter um videogame com conexão de internet prórpria é muito boa e quebra o maior galho, mas infelizmente não chegou ao nosso país. Mas tudo bem, se a bateria já dura pouco sem conexão com internet, imagina se você saísse na rua jogando com o 3G ligado…

 

[infobox color=”eg. light”]O PlayStation Vita com certeza é um bom portátil, e comprá-lo é um bom investimento. É claro que quem tiver um PS4 vai fazer ainda melhor proveito do aparelho, levando-se em conta as funções de interação entre os dois dispositivos. Mas mesmo isolado, o Vita é uma maquininha incrível. Posso dizer por experiência própria que vale a pena se tornar um feliz proprietário de um PlayStation Vita.[/infobox]