ás

Top 5½ Coisas que aprendi jogando videogames

Por muitos anos, os videogames foram considerados apenas uma peça de entretenimento para crianças, jovens e — em alguns casos — adultos. Hoje em dia eles são muito mais que isso, sendo utilizados para tratamentos médicos, testes de raciocínio e até treinamento de tropas militares, por exemplo. Não há limites para o que os games podem representar.

Assim como os jogos, nós, gamers, também crescemos envolvidos e acompanhando essa evolução, tirando lições de aprendizado bem antes do que as pesquisas vieram a confirmar no decorrer dos anos. Porém, quais foram as principais influências dos jogos na nossa vida?

Neste texto, listo agora cinco coisas (e meia) que aprendi — e ainda aprendo — com os videogames.

 

5. Superação

1vidas-playreplay

É muito fácil dizer que crianças e jovens que jogam com frequência perdem a noção do perigo que existe na realidade, já que nos games sempre existe uma vida extra ou um continue. Para mim, essa percepção de vidas vai muito mais além do que isso. Seja em jogos como o clássico Super Mario Bros. ou até mesmo Dark Souls, é possível aprender que a vida tem seus altos e baixos.

A cada nova fase e desafios, mais e mais vidas são perdidas para que você possa progredir. Porém, isso ajuda a perceber que tudo pode ser superado, que você não deve desistir quando obstáculos surgirem na sua frente. Percebemos que, a cada fase da sua vida, as coisas vão se complicando sim, mas não é nada que você não tenha capacidade de superar e conseguir seu sonhado final feliz.

 

4. Toda ação tem uma reação

2consequencias-playreplay

Como em todo bom jogo, suas ações sempre trazem algum retorno. Seja errando um pulo, matando NPCs inocentes ou derrotando chefes, sempre existe um “prêmio” ao final das suas ações. Mate gente inocente e seja perseguido e preso pela polícia, derrote um chefão e torna-se mais poderoso.

O mesmo vale para a vida: cada conquista, mal comportamento ou qualquer ação tomada vai sempre ter algum retorno — e apenas você será responsável por essa ação. Seja o retorno positivo ou negativo, fica claro que para cada ação há uma reação. Faça o bem e receba coisas boas, faça o mal e seja recompensado com coisas ruins. Então vamos agir em prol do bem para que o que venha em retorno seja ainda melhor!

 

3. Nem tudo é o que parece

3duascaras-playreplay

Ultimamente, os jogos têm contado com tramas cheias de reviravoltas mirabolantes, revelando a verdadeira face de personagens — e às vezes até mesmo grupos e clãs inteiros — passando do papel de vilão para o lado do bem e vice-versa.

A mesma coisa vale para a realidade, já que nem tudo é o que parece. As pessoas podem não ser quem dizem; podem parecer vilões agora e, daqui a pouco, mostram ser verdadeiros heróis. Também pode acontecer de aquele companheiro que você achava ser completamente leal acabar virando a casaca. Esteja sempre preparado, principalmente quando entrar no mercado de trabalho — onde máscaras caem com frequência.

 

2. Paciência

4paciencia-playreplay

Fala sério, quem nunca travou em uma fase de algum jogo, seja pela dificuldade, ou seu amigo troll que mais atrapalhava que ajudava no multiplayer? Daí, quando você joga no dia seguinte, por incrível que pareça (e sem explicação racional), você não enfrenta tantas dificuldades para passar da fase.

Paciência realmente é uma virtude. Nem tudo que você quer naquele instante será possível de realizar,muitas vezes vai ser preciso ter tempo, maturidade e até acumulo de experiência para que seja realizada uma tarefa.

 

1. O valor de cada um

5valor-playreplay

Em jogos como Dark Souls ou até The Legend of Zelda (exceto Zelda II… não é, I AM ERROR?) todos os personagens têm algum propósito na história. Mesmo que não interfiram diretamente na sua jornada, eles estão lá por algum motivo, seja para lhe vender itens ou upgrades, te dar direções ou dicas, ou até mesmo para te atrapalhar, todos possuem um propósito e significado.

Já fora dos games, isso vale para todos nós: todos temos nossas jornadas para trilhar. Podemos nos esbarrar e fazer parte de jornada de outras pessoas e, mesmo que de forma mínima, somos engrenagens que fazem funcionar a grande máquina que são suas aventuras. Todos somos importantes.

 

½. Falar inglês

12ingles-playreplay

Uma coisa é certa: muita gente, assim como eu, aprendeu a ler e formular frases em inglês graças aos videogames. Sou gamer da geração do Super Nintendo e Nintendo 64, época em que diálogos com voz entre os personagens era uma coisa bem rara (se é que existia), então acabei aprendendo diversas palavras e seus significados (graças aos dicionários, nada de Google) jogando videogames.

Porém, por ter pouca ou nenhuma referência sonora para essas palavras, minha pronúncia não era das melhores. Vocabulário dez, pronunciação zero. Ainda assim, saber que consigo me virar na língua inglesa sem muitos problemas graças aos videogames é legal demais.

 

[infobox color=”light”]

Sei que é possível aprender muito mais com os games. Mas, como a lista acaba aqui, fica agora sua parte:  você concorda ou não com a minha lista? E o que de importante você aprendeu com os videogames? Deixe sua opinião nos comentários!

[/infobox]